quarta-feira, 3 de março de 2010

Há coisas fantásticas

Depois da pouca vergonha que ontem protagonizou, Paulo Pinto Mascarenhas volta outra vez no i, a assumir, supostamente como jornalista, como não se deve ser imparcial, senão vejamos.

O título de hoje é "Passos Coelho começa demolidor na corrida a líder".

Olhando para o texto, notamos pérolas como esta: Segundo os dados a que o i teve acesso, a candidatura de Passos Coelho está neste momento com 68%, contra 26,11% de Paulo Rangel e 3,5% de José Pedro Aguiar-Branco. . Acho extraordinário como é que o i apura uns dados tão consensuais para achar Pedro Passos Coelho tão demolidor.

Mas depois vem a justificação para a notícia: Os números são provisórios uma vez que foram eleitos aproximadamente 398 delegados em 750.. Bem, parece que são pouco mais de 50% dos delegados que o i teve acesso, mas mesmo assim optou pela primeira página com uma notícia assim. Critérios...

Realça ainda o facto de em algumas distritais Coelho "arrasar", como em Castelo Branco ou Lisboa. Castelo Branco que é um distrito onde o PS manda há uns bons 20 anos, logo é um óptimo indicador para o PSD.

O que mais me espanta neste jornalismo de meia-tigela (posso dizer, não posso?) é que a vergonha já não existe há muito em algumas redacções, e o próprio condicionamento de expressão tem sempre um pau de dois bicos, consoante a tendência existente.

Fazer uma primeira página do jornal baseada em pouco mais de 50% dos factos é um sintoma grave e preocupante. É que assim, também eles contribuem para o lodo de onde estão sempre a tentar sair...

1 comentário:

rms disse...

O i pode ser inovador em muita coisa, mas n é um bom jornal. E a edição online é ainda pior...