segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O Voto Útil

PS e PSD entram na última semana de campanha a pedirem o voto útil para os respectivos partidos. Mário Soares e Paulo Rangel, como que fossem moralizadores da teoria política, pedem os votos para que o país não deixe de evoluir. Para isso, eles pedem o voto útil.

Pedem o voto útil para quê?
- Para os bancos continuarem a pagar cerca de 25% de IRC?
- Para se nacionalizarem bancos com depósitos avultados?
- Para se continuarem a aumentar as propinas no ensino universitário?
- Para se continuarem a aumentar as taxas moderadoras nos serviços de saúde?
- Para se continuarem as teorias dos lay-offs e a aumentar o desemprego?
- Para se falarem em Magalhães e a empresa que os produz ser acusada de fuga fiscal?
- Para se aprovarem Códigos do Trabalho a favor dos patrões?
- Para se fazerem inaugurações mais do que uma vez sobre o mesmo assunto?
- Para os mesmos que nos têm governado nos últimos anos, continuarem a amealhar o bem dos outros?

Se é para isso o voto útil, lamento mas não contem comigo.

O voto útil é para quem trabalha, para quem mostra trabalho e se interessa pelo progresso social e não pelo progresso pessoal.
O voto útil vai para quem defende que o serviço de saúde deve ser gratuito e acessível a todos.
O voto útil é para quem defende o ensino gratuito e universal.
O voto útil é para quem defende as pequenas e médias empresas, com o incremento da produção nacional, já que é da produção nacional que a esmagadora maioria das PME vive.
O voto útil é para quem defende os direitos dos trabalhadores e assalariados portugueses, que muitas vezes têm medo de perder o emprego, só por se manifestarem contra quem os prejudica.
O voto útil é para os deputados que na Assembleia da República trabalham para que o país melhore, quando outros não deixam.
O voto útil é para quem vive da realidade e não da imagem ou da propaganda.

Por isso, o meu voto útil nestas legislativas vai para a CDU, porque mostrou e mostra o que é o trabalho. As propostas estiverem lá, durante 4 anos e meio, na casa representativa do povo português. E quem a acusa de não ter ideias, é porque mente ou pretende ocultar propostas que dariam algum sentido a alguns portugueses.
Assim, no próximo domingo, a minha escolha está feita. Entre a demagogia populista de direita, a demagogia ideológica de esquerda e a teoria central do voto útil, a minha escolha cai na CDU.

2 comentários:

António Pista disse...

Não é novidade nenhuma para onde o teu voto vai. Como sempre foi se não estou em erro.

Agora, lanço-te o desafio, de em vez de responderes às perguntas que colocaste, ofereceres aos leitores do blog, a visão da CDU sobre todas os assuntos que colocaste, e se como pressinto não terá qualquer "visão" dês a tua forma de solucionar os problemas.

Criticar o ques tá malé fácil, mas não é com criticas que as coisas ficam bem!

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

fúria dos dias disse...

Meu caro António:

CAso não saibas, foi a CDU a primeira força política a colocar no seu site da internet o respectivo programa eleitoral.
Par ao teu partido (tão adepto das novas tecnologias), parece que foi ultrapassado nesta matéria.
Obviamente que não preciso de estar a responder a todas as questões que coloquei aqui. Foi a minha opinião do que acho que é um voto útil, e neste caso concreto, o meu voto útil.