sábado, 2 de maio de 2009

Vital e os tabefes

Pelo que já ouvi, vi e li, é fácil de fazer uma avaliação. 
Haviam duas manifestações das duas centrais sindicais do país. A comitiva do partido do Governo decidiu começar pela central sindical que não é da sua "cor". Curiosamente, levou na comitiva, o seu candidato às próximas eleições europeias, que é independente, não sendo militante do partido.
Estamos em período de pré-campanha e é notório que teriam de haver quezílias.
Os partidos (todos eles) lamentaram os incidentes e só a má-fé e o espírito de guerrilha político-partidária poderia levar o maçónico Vitalino Canas a encontrar rapidamente os responsáveis políticos de tamanhos ataques e injúrias.

É de lamentar o comportamento das pessoas, como é de lamentar o comportamento do PS, começando a teoria da vitimização de que tanto gosta e pela qual a comunicação social vai tomar partido, como toma sempre.

4 comentários:

disse...

Só não é de lamentar que num partido onde nada muda, e quem quer mudar é expulso, não aceite que os outros mudem por simples evolução e nem sequer lamentem os actos ocorridos...

fúria dos dias disse...

Meu caro Tó:

Primeiro que tudo, há que ler o que todos os partidos escreveram.

Depois, em política, há que ter cuidado com as palavras e acusações que se fazem, e o PS, querendo entrar em guerra surda, lembrou-se de embirrar, uma vez mais com o PCP...

disse...

Não fosse o PCP o principal aliado...da direita.

Ou melhor, anti-PS!

fúria dos dias disse...

Meu caro Tó:

Mais uma vez, em fundamento, zero!